Planejamento financeiro: não perca o controle

Chega um momento em que a gente se dá conta de que não dá mais para enganar, precisamos saber lidar com dinheiro.

O dinheiro viabiliza planos e realizações pessoais. Ter dinheiro é ter poder de compra e a relação de propriedade, denominada “posse”, está estritamente descrita no Art. 1.196 do Código Civil.

Inegavelmente, a moeda de troca é essencial. As melodias pregam o elo entre amor e ódio pelo capital e prosam sobre o que o ser humano pode se tornar quando o adquire. Paulinho da Viola diz que “dinheiro na mão é vendaval, dinheiro na mão é solução”. A descrição de dinheiro na letra “Money” do Pink Floyd, soa como uma narração fiel do que o dinheiro pode trazer.

Sob a atmosfera do sentimento por dinheiro, pense: quanto você precisa agora para um fluxo financeiro que lhe traga conforto, segurança, uma reserva extra para emergências, um objetivo finalizado, uma viagem com a família?

Poupar e Investir

Poupar dinheiro pode significar, para muitos, drenar os recursos para viagens, lazer e uma vida social movimentada. Poupar não se limita a excluir prazeres. Saiba equilibrar a poupança mensal com o seu estilo de vida e verá que poupar disciplinadamente, o levará a ter bons hábitos financeiros. Por exemplo: gastar menos do que ganha, fazendo com que sobre um valor que no início das suas economias sejam até pouco mas que, com paciência e persistência, chegue a um saldo considerável para aplicação. Saiba comparar a melhor rentabilidade para seu dinheiro poupado. Conheça os termos “juros” e “inflação” e saiba alinhar o seu plano financeiro a curto e longo prazo.

 

Reserve para emergências

Não ter uma reserva financeira para emergências é quase que andar sem proteção alguma, vulnerável à sorte. Se tomamos alguma decisão de última hora, alguma mudança ousada na vida, o resultado é pontual: teremos problemas. Ao adquirir o nosso pé de meia, guardado, sem destino aparente, temos a captar a nossa autonomia ao menos por um tempo. A pergunta chave é: se a sua fonte de renda atual for suspendida, de quanto precisará para sustentar seus gastos por um mês? e por mais meses?

 

Tenha uma lista de objetivos

controle financeiro 2Determine o que é viver bem. Mantenha uma lista de objetivos relacionados ao dinheiro. Trocar de carro é uma prioridade para o seu momento financeiro? A casa em que mora agora é alugada? Coloque no papel a relação custo-benefício da residência: sendo próxima do trabalho, você consegue economizar em transporte, sendo uma casa menor, o valor do aluguel é menor e diversos outros motivos devem o levar a uma conscientização sobre o destino final da sua grana.

A partir do momento em que uma lista de objetivos fica pronta, dê os próximos passos relacionados à lista e acrescente novos objetivos com o passar do tempo.

 

Falar sobre dinheiro em um relacionamento é importante

Escolha algumas questões para falar abertamente em seu relacionamento. Quais os maiores objetivos e os menores? Qual o valor que vão precisar para estes objetivos? Um financiamento imobiliário, um automóvel, uma pós-graduação, uma reserva financeira para imprevistos… Com que frequência vocês devem rever os objetivos em conjunto? Qual atitude em conjunto vocês tomarão caso um dos dois fique sem emprego? Ufa! São muitas questões. Muitas.

Crie uma parceria financeiramente compatível e saiba conectar os objetivos dessa parceria. Uma conta conjunta, adversa às contas pessoais de cada um, pode ser um início de “aperto de mão” entre o casal. Dê valor aos diálogos para desbravar uma infinitude de possibilidades, tome nota dos avanços e claro, saiba valorizar as mudanças de hábitos que vocês terão em sincronia.

 

Saiba gerir seu dinheiro

Invista tempo em sua educação financeira. Uma das atitudes mais importantes é adquirir disciplina e conhecimento sobre como não deixar com que o caixa fique no vermelho. Boas leituras como o livro de Mauro Halfeld “Investimentos – Como Administrar Melhor Seu Dinheiro” ou o livro de Carlos Wizard Martins “Desperte o Milionário Que Há Em Você” são boas pedidas. Tenha em mente estas três premissas:

  • gaste menos do que ganha
  • planeje para o futuro
  • faça o seu dinheiro gerar mais dinheiro

Para estes passos, você precisará rankear o que é custo fixo, o que é investimento, o que é reserva de emergência, o que é gasto para lazer. Tome nota! Use planilhas, procure aplicativos que te auxiliem nesta tarefa.

 

Xeque-mate

De tempo em tempo, mensure o dinheiro que você ganhou e gastou. Elabore seu plano financeiro para os próximos objetivos e o mais importante, faça com que ele seja eficaz e realmente funcione. Não perca o controle!

 

 

2 Comments

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *